Primeira Guerra Mundial (1914-1918) e a Revolução Russa de 1917

Publicado em 4 de abril de 2018 às 5:16 PM por EMITEC - Ensino Médio com Intermediação Tecnológica
Vídeo

CONTEÚDO(S): Primeira Guerra Mundial (1914-1918) e a Revolução Russa de 1917. OBJETIVO(S): Compreender o processo revolucionário russo, como o marco principal da divisão ideológica mundial ao longo do século XX, entre capitalismo e comunismo. 1914 marca o fim de uma fase de progresso da humanidade, chamada de Belle Epoque, quando as mudanças tecnológicas pareciam levar o mundo a uma era permanente de paz, tranquilidade e valores burgueses. Mas as disputas imperialistas por mercados consumidores para as potências emergentes europeias, já anunciava desde o século XIX que uma convulsão de grandes proporções aconteceria mais cedo ou mais tarde. O assassinato do arquiduque Francisco da Áustria em Sarajevo, precipitou o embate entre países tensionados por questões étnicas e políticas, envolvendo toda a Europa em 4 anos de guerra que redefiniram as posições políticas globais ao seu fim. O regime Czarista na Russia no início do século XX ilustrava o atraso histórico em que o país se encontrava, com uma grande desigualdade social econômica que remetia aos tempos medievais. Em 1905, as insatisfações populares levaram ao Ensaio Geral Revolucionário, com os trabalhadores organizando-se em sovietes e exigindo mudanças no país. A entrada da Rússia na Primeira Gurra Mundial em 1914, completamente despreparada militarmente, precipitou a queda do Czar e a tomada do poder pelos trabalhadores, primeiro através do Partido Menchevique, e depois, mais radicalmente, através dos bolcheviques, instaurando uma experiência de socialismo que tornaria a Rússia rapidamente em uma superpotência industrial e bélica no mundo.

  • Ensino Médio
  • História
  • Humanas
  • 3ª Série

RODRIGO LOPES. ORLANDO SANTOS, SELMA REIS, MIRIÃ FONSECA, TERPSYCHORE QUIRINO

EMITEC - Ensino Médio com Intermediação Tecnológica

28 de março de 2018

Atribuição-NãoComercial-SemDerivados CC BY-NC-ND

0 comentário(s)