Unificação da Itália e da Alemanha

Publicado em 15 de setembro de 2016 às 8:56 AM por EMITEC - Ensino Médio com Intermediação Tecnológica
Vídeo

 CONTEÚDO: Unificação da Itália e da Alemanha. OBJETIVO: Identificar e analisar as instituições e as relações do Estado brasileiro com as populações ameríndias, imigradas e negras ao longo dos séculos XIX e XX. A península Itálica era uma região dividida em várias unidades políticas independentes entre si. Com as decisões do Congresso de Viena, passou a ser dominada por austríacos e franceses, bem como pela Igreja Católica. O desenvolvimento industrial levou ao crescimento das cidades e à intensificação do comércio. Para dar continuidade ao processo de crescimento e expansão de suas atividades no exterior, a burguesia local desejava a unificação de toda a região. A Alemanha unificada teve uma história muito parecida com a Italiana. A principal diferença foi que, ao contrario dos italianos, muitos alemães estavam espalhados e misturados a outros povos em toda a Europa Central. Em 1871, Guilherme I foi coroado imperador da Alemanha, e Bismark tornou-se o principal chefe militar do país. A unificação alemã não foi uma obra individual: sem o desenvolvimento industrial da Prússia, a integração econômica de grande parte do território alemão e a expansão de uma cultura nacional, a criação do Estado alemão nunca teria sido alcançada.

  • Ensino Médio
  • História
  • Humanas
  • 2ª Série

Orlando Santos

EMITEC - Ensino Médio com Intermediação Tecnológica

29 de agosto de 2016

Atribuição-NãoComercial-SemDerivados CC BY-NC-ND

0 comentário(s)